Return to site

Deputada Renata Souza condecora Angela Davis com maior honraria do estado: “ Homenagear Angela Davis é aquilombar para resistir a uma lógica perversa”

· Materias

Um desejo antigo da vereadora Marielle Franco foi realizado nesta quarta-feira (23): homenagear a ativista e filósofa Angela Davis. A escritora foi agraciada pela deputada estadual Renata Souza (PSOL) com a medalha Tiradentes, maior honraria do estado. Luyara Franco, filha da vereadora também participou da entrega da medalha que aconteceu durante a abertura do 12° Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul: Brasil, África e outras diásporas que ocorreu no Cine Odeon, localizado na Cinelândia, no Rio de Janeiro.

 

 

 

“Estar aqui hoje é honrar a nossa luta ancestral. Homenageamos Angela Davis em nome de todas essas mulheres que querem criar seus filhos e uma sociedade mais justa. Homenagear Angela Davis com a maior comenda da Alerj é aquilombar para resistir a toda uma lógica perversa, mas entendendo que aquele lugar é também de nossa responsabilidade e, portanto, transformar a sociedade com o pé no chão na favela e na periferia, na construção coletiva de mulheres e homens, negros e negras, população LGBT é fundamental”, declarou emocionada a deputada Renata Souza.

 

 

Durante toda a cerimônia Marielle esteve presente. Sobretudo na fala de Angela Davis, nos aplausos constantes do público de 600 pessoas que lotaram e das centenas de pessoas que acompanhavam o evento por um telão instalado do lado de fora do cinema.

 

 

“O Rio de Janeiro é a cidade de Marielle Franco. Eu quero me juntar à família de Marielle para saber quem mandou matar Marielle, mas mais importante do que isso: nós queremos que essas pessoas saibam que, se pensaram que se esse ato iria intimidar os que lutam contra o racismo, a homofobia, a luta contra a militarização da polícia, a luta dos sem-terra, eles estão absolutamente errados”, declarou a ativista.

 

 

Muito emocionada, Luyara Franco falou sobre os ensinamentos de sua mãe e recitou um poema escrito por seu avô, Antonio Francisco: “Minha mãe dizia que ‘eu sou porque nós somos’. Eu costumo dizer que somos resistência porque ela foi luta. Que a gente se junte para vencer a barbárie”.

 

*Fotos em anexo - Crédito: Caio Oliveira

All Posts
×

Almost done…

We just sent you an email. Please click the link in the email to confirm your subscription!

OK